NOTÍCIAS

CRO-MT solicita modernização do Conselho de Ética ao órgão federal

O Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT) encaminhou na manhã desta sexta-feira (18) ofício que solicita ao Conselho Federal de Odontologia (CFO) a modernização do Código de Ética Odontológica no que diz respeito à publicidade e à harmonização facial.

No documento, o órgão solicita a criação, regulamentação e reconhecimento da especialidade em Harmonização Facial e a permissão para divulgação de fotos “antes e depois” e de fotos dos pacientes, desde que autorizada pelos mesmos. Estas demandas resultaram do trabalho realizado pela Comissão de Ética do conselho nos últimos anos.

De acordo com o presidente do CRO-MT, Sandro Stefanini, que assina o documento, a modernização é necessária para aproximar a legislação da prática da odontologia atual, e atende também à demanda da sociedade em geral. Segundo ele, o amadurecimento das discussões por meio da articulação com conselhos de outros estados e as atuais mudanças na diretoria do CFO tornaram este um momento favorável para avanços.

“Enquanto conselho, trabalhamos sempre dentro da lei, aplicando o código regularmente. No entanto, analisando os mais de 500 processos éticos do conselho e ouvindo os anseios da categoria, entendemos que existem algumas questões que precisam avançar. Por isso, a gente vem numa luta constante nos últimos anos para modernizar essas normas”, explicou o presidente.

Além disso, a autarquia demanda ainda a autorização para inscrever todas as especializações do profissional, desde que reconhecidas pelo CFO. Dessa forma, os cirurgiões-dentistas que possuem mais de duas especialidades, que é o limite permitido pela norma vigente, poderão registrar e divulgar mais especialidades. O ofício completo pode ser visto clicando aqui

“Acreditamos que há uma severa necessidade de modernizar a norma para que o cirurgião-dentista não aja de forma ‘ilegal’ perante o código de ética por questões cotidianas. Com essas alterações, por exemplo, o profissional vai poder mostrar mais claramente ao paciente todas as alternativas de tratamento, utilizando ferramentas e estratégias mais atuais. São avanços naturais, pois a categoria não pode parar no tempo e estamos confiantes que nossas demandas serão consideradas”, concluiu Sandro Stefanini.

ZF PRESS – ASSESSORIA DE IMPRENSA DO CRO-MT

COMENTÁRIOS