NOTÍCIAS

SAÚDE BUCAL

Presidente do CFO diz que o atendimento à saúde não pode ser fracionado

Um dos principais assuntos abordados durante a reunião que o Conselho Federal de Odontologia (CFO) realizou em Palmas (TO), com a presença de presidentes de Conselhos Regionais de todo o país, juntamente com seus tesoureiros, foi em relação à defesa de uma maior participação dos profissionais da Odontologia na saúde dos brasileiros.

Para o presidente do CFO, Juliano do Vale, é inadmissível que o serviço à população seja fracionado, pois o atendimento de saúde é uma atividade interdisciplinar. “Nos tempos atuais não podemos mais fracionar a saúde, ou seja, dividir a atuação em partes médica, odontológica e psicológica, por exemplo”, comentou.

Luiz Evaristo Volpato, presidente do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT), que estava presente à reunião junto com o tesoureiro da entidade, Roberto Maia, defende o posicionamento do presidente do CFO, tanto que, ao retornar deste encontro, já conseguiu um grande avanço nesta questão em Cuiabá.

“Participamos de uma Audiência Pública na Câmara Municipal da capital mato-grossense, onde expusemos a questão da importância de se tratar os cuidados bucais juntamente com os cuidados com saúde. Ao final da Audiência, ficou decidido que, todas as equipes de saúde da família que forem implantadas, ou as que tiverem a estrutura física reformada, passarão a contar com equipes de saúde bucal. É uma grande vitória para todos os cuiabanos que utilizam os serviços de saúde pública”, disse Volpato.

Outro tema que foi debatido durante a reunião de CFO em Palmas foi o reajuste da anuidade dos profissionais inscritos nos Conselhos Regionais e do Conselho Federal. Ficou decidido que, considerando o contexto econômico desfavorável do país, os preços das anuidades não serão reajustados. "Isso é mais uma prova que os conselhos de odontologia de todo o Brasil estão unidos em prol de toda a classe", falou Juliano do Vale.

 

ZF Press – Assessoria de imprensa do CRO-MT

COMENTÁRIOS