NOTÍCIAS

SAÚDE BUCAL

Palestras abordaram novas tecnologias nos segmentos de Endodontia e Periodontia

 

Endodontia de excelência ao alcance do clínico geral. Este foi o tema da palestra do doutor em Endodontia, Rodrigo Ricci Vivian, durante o Seminário Avançado de Odontologia, realizado no Conselho Regional de Odontologia (CRO-MT), nos dias 31 de agosto e 1º de setembro. O evento faz parte das comemorações dos 50 anos do CRO-MT.

Ricci abordou as estratégias contemporâneas para a desinfecção do canal radicular. “Essa desinfecção pode ser feita de forma mecânica, por meio de instrumentação rotatória, forma química, soluções irrigadoras com atividade antimicrobiana e dissolução de matéria orgânica. E também pode ser feita de forma física, por meio do uso de novos equipamentos como o ultrassom, Easy Clean, ou até mesmo alguns equipamentos de forma excêntrica, para acessar áreas que não foram tocadas por instrumentos endodônticos anteriormente”, disse.

O doutor em Implantodontia e professor da ABO-ES, Fausto Frizzera, falou sobre “Estética Integrada em periodontia e implantodontia”.  “O objetivo da palestra é mostrar para o cirurgião-dentista a importância da integração das diferentes especialidades, dando uma ênfase na parte de periodontia como também na do implante, tanto o lado estético, como também o funcional”.

Frizzera explicou que a Odontologia é uma ciência que aborda diferentes áreas, diferentes disciplinas, e que durante a sua fala ele mostraria novas tendências e novas técnicas que têm sido utilizadas atualmente. “Há algumas pesquisas que já estão publicadas sobre novas técnicas como, por exemplo, para substituir um dente imediatamente após a extração dele. O dente é extraído e na mesma sessão o paciente já sai com o provisório. O mais importante disso tudo é que, depois de anos de acompanhamento é possível manter tanto a qualidade da gengiva, como do tecido ósseo em volta desse implante”, revelou.

Ele comentou que no Brasil há uma procura grande pelos serviços de implante. “O que acontece normalmente é que a pessoa tira o dente e não tem condição financeira de fazer o implante. Quando a situação melhora e ela decide implantar o dente, provavelmente já terá perdido muito osso. Neste caso é necessário fazer procedimentos reconstrutivos para colocar o implante”, falou.

Hoje, destaca Frizzera, o ideal é que, no momento de extrair o dente, se faça tudo o que tem que ser feito para que o paciente já fique reabilitado. “Dessa maneira é possível manter osso, manter estética e devolver a função para ele. Isso serve para preservar ou recuperar tudo o que foi perdido. É isto o que vou mostrar aqui hoje”, concluiu.

CURSO – O Seminário Avançado de Odontologia foi uma ação conjunta do Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso (CRO-MT), Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas - Seção Mato Grosso (ABCD), Associação Brasileira de Odontologia – Seção Mato Grosso (ABO), Faculdade Faipe, Eape Odonto e Escola de Odontologia, com apoio da Unicred.

 

ZF Press – Assessoria de imprensa do CRO-MT

COMENTÁRIOS